Modelo 3D - Cálice funerário Jê

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Pichações lascivas da Pompéia Antiga

Tradução livre do
Dangerous Minds
 G. H.
 Apoio: Carla Pequini
   
A maior parte das pessoas associam Pompéia com a erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C., um evento que matou simultaneamente em torno de 16.000 pessoas e "congelou" todo seus arredores sob um monte de cinzas, deixando uma cidade inteira quase que perfeitamente preservada para a posteridade. Mas apesar de nós frequentemente projetarmos uma aura de seriedade nas personagens da Antiguidade, uma das características mais pitorescas é a preservação dos aspectos menos respeitáveis (e mais reconhecíveis) do ser humano.
 
Veja, por exemplo, o mosaico da ilustração, representando um sátiro e uma ninfa, uma peça de A Casa do Fauno, que no passado foi um lar opulento para os aristocratas de Pompéia. A onipresença de arte erótica como essa foi e é representativa da afeição romana pelos prazeres mundanos. Mas, se você preferir a sujeira do proletariado, pode estar interessado em um tipo de grafite, ou pichação, encontrado por toda a Pompéia, alguns deles listados abaixo, juntamente com o local em que se encontra o rabisco ofensivo. Lembrem-se crianças, frequentemente nossa história se resume a paredes de banheiros dos nossos antigos semelhantes. (E sim, existem escritos gentis, introspectivos e poéticos em meio às pichações, pelo menos você terá uma impressão unilateral dos pompeianos.)

Para identificar os locais em que foram feitas as pichações você pode consultar este mapa. Os nomes estão em inglês, porém é possível reconhecer a maior parte deles.

Clique na imagem para ampliar. Mapa da Pompéia Antiga, com os principais pontos de interesse.

(Próximo ao vestíbulo de entrada da Casa de Menander): Em Nuceria, procure por Novellia Primordial próximo ao Portão Romano no distrito das Prostitutas.

(Bar de Astylus e Pardalus): Amantes são como abelhas e nisso vivem uma vida melada.

(Loja de potes de cerâmica ou Bar de Nicanor; a direita da porta): Lesbianus, você defeca e você escreve, 'Olá, pessoal!'

(Casa de Pascius Hermes; à direita da porta): Para aquele que está defecando aqui. Guarda-te da maldição. Se você se voltar para esta maldição, que tenhais um Júpiter enfurecido como inimigo.

(Casa de Caecilius lucundus): a todo aquele que ama, deixei-o florescer. Deixe perecer aquele que não ama. Deixe-o perecer duas vezes aquele que proibir o amor.

(Lado externo ao portão Vesúvio): Cagão,  que tudo o mais dê certo e assim você possa deixar esse lugar.

(barracas dos gladiadores Julio-Claudianos; coluna no peristilo): Cedalus o gladiador trácio é o deleite de todas as garotas.

(Casa de Pompeu Axiochus VI e Julia Helena; a esquerda da porta): Hectite, gracinha, Mercator diz olá para você.

(viela dos Cientistas): Lagalus cruel, por que você não me ama?

(Loja de carpintaria de Potitus): Que quantidade de truques você usa para enganar, estalajadeiro. Você vende água mas bebe vinho puro.

(Átrio da Casa do Grande Bordel): Uma loira me ensinou a odiar as garotas de cabelos escuros. Eu as odiarei, se puder, mas não me importaria em amá-las. Venus Fisica Pompeiano escreveu isso.

(Átrio da Casa de Pinarius): Se mais ninguém acredita em Vênus, eles poderiam se deslumbrar com minha namorada.

(Bordel de Vênus; na Viela Sobreposta em frente ao Beco do Gallo): Que o Amor queime em alguma montanha solitária a todo aquele que deseje violentar minha namorada!

(beco do Pattiere, Casa dos Vibis, Mercadores): Atimetus me engravidou

(beco do Pattiere, Casa dos Vibis, Mercadores) Figulus ama Idaia

(Bar do Hedone (ou Colepius) na Rua dos Augustos; na esquina que leva a lupanária): Hedone diz, "Você pode beber aqui por apenas uma moeda. Você pode beber o melhor vinho por duas moedas. Você pode sorver Falerniano por quatro moedas."

(Casa de Caprasius Primus): Eu não quero vender meu marido, nem por todo o ouro do mundo.

(Viela d'Eumachia, pequeno aposento de um possível bordel): Vibius Restitutus dormiu aqui sozinho e sentiu a falta de sua querida Urbana.

(corredor no teatro): Methe, escrava de Cominia, de Atella, ama a Chrestus. Que Vênus Pompeiana seja querida a ambos e que os dois vivam sempre em harmonia.

(na basílica):  Nenhum jovem sujeito está completo até que ele tenha caído de amores.

(na basílica): Chie, eu espero que suas hemorróidas se esfreguem tanto a ponto de se machucarem como nunca!


(na basílica): Deixe que todos aqueles que amam venham ver. Eu quero quebrar as costelas de Vênus com porretes e aleijar os lombos da deusa. Se ela pode arrebentar com meu peito macio, então porque eu não posso esmagar sua cabeça com um porrete?


(na basílica): Phileros é um eunuco!


(na basílica): Se você está disponível, mas desinteressado, porque você joga fora nossa diversão e gentil esperança, sempre me dizendo para voltar amanhã. Então, force-me a morrer visto que me força a viver sem você. Teu presente será parar de me torturar. Certamente, a esperança dá de volta ao amante aquilo que uma vez lhe tirou.

(na basílica): Tome posse de sua jovem serva sempre que desejares; é o seu direito.


(na basílica): Ó paredes, vocês tem suportado tantos grafites tediosos que eu estou maravilhado de que não tenhais ainda colapsado em ruínas.


(na basílica): O Amor dita para mim enquanto escrevo e Cupido me mostra o caminho, mas que eu morra se deus desejasse que eu seguisse sem você.


(Estalagem dos tropeiros; a esquerda da porta): Nós encharcamos a cama, estalajadeiro. Confesso que fizemos mal. Se você quer saber porquê, não havia penico no quarto.

(Casa de Sabinus; peristilo): Se você sentir o fogo do amor, tropeiro, você se apressará para ver Vênus. Eu adoro um garoto charmoso; eu lhe peço, instigue as mulas; vamos lá. Leve-me para Pompéia, aonde o amor é doce. Você é meu...

(Casa dos Centenários; no átrio): Meu filho luxurioso, com quantas mulheres mais tiveste relações sexuais?

(Casa dos Centenários; na latrina próximo à porta frontal): "Secundus defecou aqui" três vezes em uma parede.

(Casa dos Centenários; no interior da casa): uma vez que você esteja morto, você é nada.

(triclínio de uma casa): Restitutus tem enganado muitas garotas.

Necrópole de Nuceria (em uma tumba): Saudações a Primigenia de Nuceria. Eu queria me tornar um anel de sinete por pouco mais de uma hora, então poderia te dar beijos despachados com tua assinatura.

Herculano (Bar/quiosque conjugado aos banhos marítimos): Dois amigos estiveram aqui. Em sua estada eles tiveram em tudo um serviço ruim  dispensado por um sujeito chamado Epaphroditus. Eles o jogaram longe e gastaram 105 sestércios e meio nas mais adoráveis cortesãs.

Herculano (no muro externo de uma casa): Apollinaris, o médico do imperador Titus, defecou bem aqui.
  
Clique na imagem para ampliar. Imagens das ruínas de Pompéia. 1. Panorâmica da Via de Mercúrio, tomada a partir das muralhas do norte em direção ao sul e ao Fórum. 2. a 5. Retratos de romanos em mármore: 2. Beleza da Corte de Flávio (80 a 90 d.C.); 3 e 4. Retrato de homem; 5. Retrato de mulher com véu, entre os séculos I e II d.C. 6. Pintura de natureza morta com ovos e tordos. A natureza morta era um tema de pintura muito popular à época da destruição de Pompéia. 7. Aparência de algumas pichações nas paredes de um edifício.
 
Fonte fotos 1 e 6:
CORNELL, T. & MATTHEWS, J. Roma: legado de um império. Trad.: Maria E. Vidigal. v. 1. Lisboa: Edições Del Prado, 1996. p. 86-7.
Fonte fotos 2 a 4:
Museu Capitolino, Roma. Fotos: Ilse Schneider-Lengyel, Phaidon Archive, Oxford.
CORNELL, T. & MATTHEWS, J. Roma: legado de um império. Trad.: Maria E. Vidigal. v. 2. Lisboa: Edições Del Prado, 1996. p. 180.
Foto 5:
Museo Archeologico di Firenze
Casa Fiat de Cultura. Roma: a vida dos imperadores. Catálogo da exposição. João Pessoa-PB: Fabula srl, 2011. p. 248. 

Texto original de Amber Frost
Via Professor Brian Harvey
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário